Imprimir Fechar
Sapiranga, 14 de novembro de 2018
Estamos pesquisando sua consulta.
Por favor aguarde alguns instantes!
conteúdo

Estudantes aprendem sobre Arte Moderna e Patrimônio Histórico Cultural em Sapiranga

Alunos do CME Érico Veríssimo – UEF realizaram pesquisas, produziram trabalhos e fabricaram maquetes
Redator: Departamento de Comunicação 12/09/2018
A semana foi diferenciada para os estudantes do Centro Municipal de Ensino (CME) Érico  Veríssimo – UEF. Além das tarefas cotidianas do ensino escolar em sala de aula, os alunos também dedicaram um tempo  para estudos sobre a Semana de Arte Moderna de 1922 e o Patrimônio Histórico Cultural.

As turmas 711 e 721, coordenadas pela professora Eliziana Zambone, realizaram  pesquisas, leituras e assistiram  vídeos sobre  artistas brasileiros. A partir dos estudos das obras da artista Tarsila do Amaral, os criativos alunos  desenvolveram belos  trabalhos. Já as turmas 911 e 922,  também coordenadas pela professora Eliziana, produziram pesquisas  sobre Patrimônio Histórico Cultural e posteriormente confeccionaram  maquetes em sala de aula mostrando a arquitetura e os objetos de diversos lugares. A segunda ação do projeto foi uma saída de campo pelos Caminhos da Jacobina  e uma visita ao Museu Municipal Adolfo Evaldo Lindenmeyer,  que abrigou a Estação de Trem Sapyranga até a década de 1960.

SEMANA DE ARTE MODERNA
A Semana de Arte Moderna foi uma manifestação artístico-cultural que ocorreu no Teatro Municipal em São Paulo durante os dias 11 a 18 de fevereiro de 1922. O evento reuniu diversas apresentações de dança, música, recital de poesias, exposição de obras (pintura e escultura) e palestras. Os artistas envolvidos propunham uma nova visão de arte, a partir de uma estética inovadora inspirada nas vanguardas europeias.

O evento chocou grande parte da população e trouxe à tona uma nova visão sobre os processos artísticos, bem como a apresentação de uma arte “mais brasileira”. Houve um rompimento com a arte acadêmica, inaugurando assim, uma revolução estética e o Movimento Modernista no Brasil. Mário de Andrade foi uma das figuras centrais e principal articulador da Semana de Arte Moderna de 22. Ele esteve ao lado de outros organizadores: o escritor Oswald de Andrade e o artista plástico Di Cavalcanti.

TARSILA DO AMARAL
Tarsila do Amaral foi uma artista plástica brasileira do movimento modernista. Junto à Anita Malfatti, ela ficou conhecida como uma das mais importantes pintoras da primeira fase do modernismo. E, ao lado dos escritores Oswald de Andrade e Raul Bopp, Tarsila inaugurou o movimento denominado “Antropofagia”.
 
Tarsila do Amaral nasceu em Capivari, interior de São Paulo, no dia 1.º de setembro de 1886. Morou em São Paulo, onde esteve matriculada no Colégio de Freiras e no Colégio Sion. Mais tarde, mudou-se para Barcelona, na Espanha, a fim de terminar seus estudos. Com apenas 16 anos, Tarsila pinta seu primeiro quadro.

MOVIMENTO ANTROPOFÁGICO
A antropofagia ou movimento antropofágico é um conceito apresentado pelos modernistas, visto como um dos movimentos mais radicais do período. Com o intuito de se afastar dos modelos europeus, os artistas modernistas se empenharam em criar uma estética tipicamente brasileira. Utilizaram o conceito metafórico de deglutição e regurgitação acerca do ato de comer a cultura estrangeira e vomitar a “nova” cultura.
A antropofagia foi inspirada no quadro de Tarsila “Abaporu”, que do Tupi, significa “antropófago” (homem que se alimenta de carne humana).


Fotos: Divulgação
voltar