×

Utilize o teclado para navegar, com Ctrl + nº da tecla

Ctrl + 1 (menu) Ctrl + 2 (conteúdo) Ctrl+ 3 (busca) Ctrl + 4 (mapa) Ctrl + 0 (acessibilidade)

A +

A -

Padrão


Original

Contraste
Notícias

Parcão de Sapiranga ganha Casa do Imigrante

Data de publicação: 11 de julho de 2019
Fotos: Departamento de Comunicação
Crédito da notícia: Departamento de Comunicação



O Parque Municipal do Imigrante recebeu a nova Casa do Imigrante, em cerimônia de inauguração que ocorreu na tarde desta quarta-feira, 10 de julho, com a participação da prefeita Corinha Molling. “Vocês não imaginam minha emoção. Estou muito feliz com a inauguração da Casa do Imigrante. O que está acontecendo aqui é histórico. O legado que o promotor Michael Schneider Flach deixa para Sapiranga, através da construção da casa, merece nosso respeito e confiança pelo Ministério Público”. Emocionada em seu pronunciamento, Corinha destacou ainda a presença importante do Monsenhor Airton Luiz Haack, que fez uma bênção do espaço durante a solenidade. “Agradeço ao Padre Airton que sempre está conosco. Não poderíamos inaugurar uma casa que remete ao passado fazendo referência à memória dos imigrantes sem a sua bênção. O nosso Parque é um lugar de família e a casa em estilo enxaimel representa a história e a cultura da nossa cidade”.

O promotor de Justiça da Comarca Michael Schneider Flach, ressaltou o trabalho do Ministério Público de atuar na defesa dos direitos indisponíveis e na tutela dos mais desfavorecidos, do meio ambiente, do urbanismo e do patrimônio cultural.”Hoje estamos entregando um aparato para o Parque Municipal e também à comunidade que decorre da atuação do Ministério Público”.

O evento oficial de entrega da Casa do Imigrante na Cidade das Rosas, contou ainda com as presenças do ex-deputado federal, Renato Molling; do procurador-geral de Justiça do Estado, Fabiano Dallazen; da procuradora-geral do Município, Mirian Monteiro; do secretário-geral do Ministério Público, Júlio César de Melo; secretários municipais; vereadores; Corte da 36ª Festa das Rosas; entre outros.

 

CASA DO IMIGRANTE

A Casa do Imigrante, localizada no Parque Municipal do Imigrante é uma reprodução histórica sobre a técnica de construção da época em que viviam as primeiras famílias de descendentes de alemães em Sapiranga. A casa foi feita procurando reproduzir o modelo de moradia dos imigrantes, com acompanhamento do Ministério Público, através do promotor de Justiça da Comarca Michael Schneider Flach.

A Casa do Imigrante conta com um espaço administrativo e um espaço para recepção de visitantes, além de exposição de objetos de época. Inicialmente o local funcionará como sede administrativa do Departamento de Turismo.



ESTILO ENXAIMEL

É uma técnica de construção que consiste em paredes montadas com hastes de madeira encaixadas entre si em posições horizontais, verticais ou inclinadas, cujos espaços são preenchidos geralmente por pedras ou tijolos. Os tirantes de madeira dão estilo e beleza às construções do gênero, produzindo um caráter estético privilegiado. Outras características são a robustez e a grande inclinação dos telhados.



MINISTÉRIO PÚBLICO

Uma infração urbano ambiental, cometida por uma empresa, resultou num primeiro momento na recuperação da área degradada. Isso, significou o plantio de mais de 2 mil árvores, a maioria plantada no local do dano e algumas outras no Parque Municipal do Imigrante. Também foram feitas várias exigências no tocante ao licenciamento e aprovação dos projetos e cláusulas restritivas do direito de construir com certas limitações e preservação de área de preservação permanente. Parte dessa compensação foi destinada ao Parque do Imigrante como forma de proteção e promoção do meio ambiente, do urbanismo e do patrimônio cultural. O local foi escolhido porque é considerado o coração da Cidade de Sapiranga, assim com o Morro Ferrabraz, importante patrimônio natural e ecológico é o pulmão do Município e região.

 

UM POUCO SOBRE A HISTÓRIA DA IMIGRAÇÃO ALEMÃ EM SAPIRANGA

No período de 1824 a 1826, os primeiros alemães estabeleceram-se no Rio Grande do Sul. Estes imigrantes germânicos desembarcaram em São Leopoldo no dia 25 de julho de 1824 (data hoje festiva em nossa região), iniciando a história dos municípios que formam a região conhecida como Vale do Sinos. Os imigrantes receberam lotes de terras, onde deram início à sua habitação. Segundo a historiadora e professora Dóris Fernandes Magalhães, a Fazenda Padre Eterno, após discussões jurídicas, foi levada a leilão pela Justiça e arrematada em praça pública por João Pedro Schmidt, comerciante do Hamburgerberg, em julho de 1842. Essa venda marca o início, de fato, da colonização alemã nas terras que hoje formam o Município de Sapiranga.

Os colonos vindos do Hunsrück instalados se dedicaram à atividade agrícola de subsistência, bem como ao artesanato, ferraria, marcenaria, carpintaria, selaria e tamancaria, trabalhos que haviam trazido da Europa e graças as atividades puderam suprir suas necessidades nas novas colônias. Naquela época as poucas casas que existiam na colônia foram construídas através da técnica de enxaimel.

 

© Copyright 2019 - Todos os direitos reservados à Prefeitura de Sapiranga/RS

topo